Cigana Espanhola - Povo Cigano


13/07/2007


Consultoria de Baralho Espanhol

Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

 

Carta da Vitória

Se você tem fé em Santa Sara Kali no povo cigano espiritual, lhe apresento meu site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/ 

Nele mantenho um lugar especial reservado para nossa Sara.

Trabalho como Consultora do Baralho Espanhol e se quiser conhecer essas cartas enquanto oráculo, será um prazer receber a sua visita. Lá você encontrará informações sobre esse oráculo iluminado, além de contato para consultas on-line (msn e skype). Que Santa Sara Kali abençoe sua casa, sua família e seus caminhos... Que assim seja!
Abraços, Elaine 

Escrito por Cigana Espanhola às 10h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

04/04/2007


Simpatia da Maça para o Amor e para a Prosperidade

Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

 

Você vai precisar de:

1 maça vermelha, grande e bem bonita

1 pratinho pequeno, branco ou amarelo

1 saco grande de cravos da índia

1/2 metro de fita vermelha fina

1/2 metro de fita amarela fina

 

Como fazer: Pegue a maça e vá furando-a com os cravos, um por um, bem próximos um do outro (De forma que ao final do trabalho, não dê para ver a superfície da maça). Comece por cima, onde tem o talo da maça e vá até em baixo. Não cubra a área do talo da maça e depois dele, mais ou menos meio centímetro, deixando o tamanho de uma moeda de 50 centavos de área livre no topo da maça... Após terminar com os cravos, puxe o talo da maça, pegue uma faca de ponta fina, e com cuidado para não rachar a maça, faça um orifício aproximadamente do tamanho e largura do seu dedo mindinho... Nesse buraquinho aberto no centro da maça, você colocará seus pedidos de amor e prosperidade. Esses pedidos deverão ser feitos em um papel branco, com lápis, da seguinte forma: de um lado coloque seu nome e o nome da pessoa amada, para quem deseja voltar, começar uma relação ou se harmonizar (no caso de marido/esposa, namorado/namorada ou noivo/noiva).. e do outro lado do papel, seus pedidos de prosperidade: trabalho, justiça, aumento de salário e/ou cargo e etc... Dobre o papelzinho em forma de canudinho e coloque no buraco no centro da maça. Em seguida, pegue as duas fitas, posicione-as em forma de uma cruz, uma por cima da outra, e bem no meio onde elas se encontram, use uma faca ou punhal para enfiar uma boa parte das fitas para dentro da maça, onde já está o papel... O buraco na maça não pode ser muito largo para que as fitas fiquem firmes e não saiam ao simples manuseio, já que o objetivo é deixar as 4 pontas para fora e com elas dar dois laços, um de cada cor (conforme foto)... Por fim, dê 7 borrifadas do seu perfume favorito na maça.. O perfume é o seu "cheiro", aquele que você usa costumeiramente e principalmente quando encontra a pessoa amada....

Coloque a maça no pratinho e escolha um local no seu altar ou na sua casa onde ela deverá ficar... Ninguém poderá manejar a sua maça

No momento em que estiver colocando a maça no lugar escolhido, peça a cigana Zaira a abertura nos caminhos do amor..

Ao povo cigano e seus ciganos amigos (mentores e ciganos de trabalho) a abertura no caminho da prosperidade...

Não esqueça de pedir para Santa Sara, protetora do povo cigano e é claro, ao nosso pai maior, pois sem a permissão dele, nada acontece...

Peça com fé!!

Sua maça ficará no altar por 6 meses e após esse tempo, deverá ser colocada com pratinho e tudo abaixo de uma árvore, de preferência em local com muito verde.. nesse dia, agradeça tudo o que conseguiu após fazer a simpatia e com certeza, a lista será grande... rsrs

Se quiser pode fazer outra maça logo em seguida, pois amor e prosperidade não faz mal pra ninguém né?

 

Essa simpatia foi passada pelo espírito do Cigano Santiago, um amigo muito querido!

 

Escrito por Cigana Espanhola às 19h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

08/02/2007


Como montar um altar Cigano?

 Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

Vai precisar de uma imagem de Santa Sara (você encontra em casas de artigos religiosos e na internet)
http://www.flog.0br.net/tokdemagia/3f074331505809c3d6dccade18b70c81.html
http://www.viraj.com.br/cgi-local/loja2/prod.cgi?I_STASARA
http://fotolog.terra.com.br/wsbrasilbara:59


Vai precisar de uma boneca cigana (representação da sua cigana espiritual) e do cigano Wladimir (chefe dos ciganos)
http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=28142343&tid=2519526885744451784&na=4

Vai precisar de um baralho/tarô cigano
http://www.estacaodoslivros.com.br/loja/index.php?cPath=1_54&lvUsid=
http://www.viraj.com.br/loja/tarots1.html

Vai precisar de pedras variadas
Cristais, ametista, quartzo de várias cores, perita, ônix, malaquita, hematita, calcita, ágata, citrina, sodalita, etc...
Encontra nas lojas da rede Mundo Verde ou em casas de artigos religiosos
http://mundoverde.com.br/produtos/buscar.asp

Uma pirâmide de cristal (pequena).. Encontra no Mundo Verde

Um incensário e incensos variados
Encontra também no Mundo Verde ou em casas de artigos esotéricos..
http://www.viraj.com.br/loja/ritual.html

Vai precisar de um pandeiro fantasia.. (se sua cigana usar)
http://www.kumpaniaromai.com.br/artesanatos.htm

Vai precisar de um porta velas e vela de 7 dias. Obs.: Particularmente eu uso as cores azul royal, azul claro, amarela... Variando entre elas, de acordo com o pedido que eu mentalize no momento em que ascendo-as
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-53362533-_JM

Um leque e castanholas (se for uma cigana espanhola)
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-53095140-castanhola-importada-musical-bresser-frete-gratis-_JM

Fitas finas, coloridas, medindo 70cm cada (usar as cores verde, vermelho, amarelo, lilás, azul claro, azul escuro, rosa, etc.. Menos preta e marrom).. Essas fitas devem ser colocadas nas mãos unidas de Sta Sara.

3 taças, de preferência em cristal, por causa da pureza do material..

Uma toalha na cor vermelha (amor), dourada (prosperidade), ou na cor de sua preferência, menos preta e marrom.. Pode comprar o pano e mandar uma costureira fazer como desejar.. Eu fiz dourada com franjas vermelhas, para atrair amor e prosperidade

Um Jarro de flores, podendo ser fino (que caiba no mínimo 3 rosas)

Não tem mistério para montar seu altar, use sua intuição.. Esse é um altar simples, com poucos elementos e que não ocupa muito espaço. Conforme sua relação de afinidade com o(a) cigano/cigana espiritual for crescendo, novos itens podem ser acrescentados conforme o gosto dele(a).

Forre a mesa que será utilizada com a toalha, coloque Santa Sara no centro e os ciganos, um de cada lado da Santa.. Abra o baralho à frente de Santa Sara, a fim de energizá-lo para futuro trabalho (se for trabalhar com cartas) ou apenas para homenagear a Santa com elementos da tradição cigana...

As pedras devem ser lavadas em água corrente e se possível deixadas de um dia para outro em água com sal grosso. Se não puder fazer a limpeza com sal, lave-as com água e mentalize com fé o pedido de limpeza das pedras e que a energia delas seja utilizada para o "bem"... Acomode-as em um pratinho de louça ou barro, conforme sua vontade..

O Insensário pode ficar em qualquer local da mesa, desde que longe de tecidos para evitar o perigo de incêndio... Use o incenso que desejar, conforme a necessidade do ambiente (saúde, prosperidade, limpeza espiritual).. Ver post anterior sobre incensos e suas indicações..

Mantenha as taças sempre cheias, ou com água (que deve ser trocada de 3 em e dias), vinho branco ou tinto ou sangria (com vinho tinto).. Para a cigana, se for da preferência dela, ofereça Champagne... Quando for trocar a bebida, despeje a antiga em água corrente, pode ser na pia com a torneira aberta, deixando que se vá junto com a água..

Você pode oferecer frutas para Santa Sara e para o povo cigano, como forma de agradá-los e agradecer a proteção desse povo no seu lar. Pode fazê-lo uma vez por mês, não sendo necessário mais que isso. Veja como no post anterior. Lembre-se de deixar a oferenda no máximo por 1 ou 2 dias no altar, descartando em local apropriado antes que se deteriorem, evitando insetos e mal cheiro no altar e em casa..

Dica: Ao elevar seu pensamento e prece em frente ao altar de Santa Sara, faça-o com o corpo limpo (nunca suado ou sem roupa) e para as mulheres, de preferência com um véu branco ou azul claro cobrindo os cabelos, como sinal de respeito..

Se der uma festa ou recepção em casa onde as pessoas comam e bebam perto do altar, cubra-o com um pano claro (lençol ou toalha de mesa na cor branca, que tenha sido reservado para esse fim). Antes, claro, apague velas e incensos.. Só descubra-o após as visitas sairem.. Não permita que pessoas cuja energia você não conhece, toque no seu altar, principalmente nas pedras e no baralho (esse só deve ser manipulado pela(o) dona(o)..) Mas é permitido e acima de tudo, um ato de caridade, permitir que uma pessoa aflita ajoelhe-se em frente a Santa Sara e faça seus pedidos e orações, pois a Santa mãe de todos, ciganos e não ciganos, médium e não médium, espírita ou não espírita...

Boa Sorte na preparação do seu altar e não se esqueça, use a sua intuição, ela é melhor do que qualquer orientação escrita..

Escrito por Cigana Espanhola às 18h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

30/01/2007


Como agradar sua cigana espiritual

Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

 

Você vai precisar de:

1 cesta de vime

1 lenço colorido

6 pedaços de fitas coloridas de 70cm cada (menos preta e marrom)

1 melão

2 peras

2 maças

2 bananas

1 cacho de uvas verdes

1 cacho de uvas rosadas

2 goiabas

2 pêssegos

6 velas coloridas

1 caixa de incenso da sua preferência (rosas vermelhas, jasmim, magia cigana e etc..)

Sementes de gergelim

 

Como fazer a oferenda: Em uma noite de Lua Crescente ou nos três primeiros dias da Lua Cheia, enfeite a cesta com as fitas coloridas da maneira que quiser. Lave as frutas e arrume-as de forma bem bonita (podem estar inteiras). Após montar, salpique as sementes de gergelim no interior da cesta e leve-a para um local alto com bastante árvores (ex.: Petrópolis, serra Grajau Jacarepaguá, etc), flores, ou mesmo para uma estrada de terra batida...

Ao chegar lá, coloque o lenço no chão e a cesta em cima dele. Coloque os incensos nas frutas mais macias e acenda-os... Acenda as velas colorias ao redor da cesta... Vá fazendo isso a medida que oferece o agrado para seu/sua cigano(a)...

Notas:

- Nunca coloque abacaxi e outras frutas azedas em oferendas ciganas

- Escolha locais pouco movimentados para deixar o seu agrado..


Os significados de algumas frutas...

Uva rubi: prosperidade
Uva verde: saúde
Uva passa ou ameixa: Progresso
Morango: amor
DAMASCO: sensualidade
Pêssego: equilíbrio pessoal e sedução
Limão: energia positiva e purificação da alma.
Laranja: para afastar energias negativas.
Romã: Espiritualidade
Pêra: Simboliza a imortalidade e a boa saúde, também traz prosperidade pela cor amarela e relaciona-se com o trabalho.
Abacate: Saúde
Maçã: Amor e transmutação de energia de ambientes
Manga: Sexualidade e amor incondicional
Figo: Prosperidade
Melancia: Prosperidade e Fartura
Melão: simboliza o sol, energia vital e prosperidade.

Sempre quando oferecemos a maçã, devemos oferecer a pêra, pois a maçã simboliza a cigana e a pêra simboliza o cigano.

Escrito por Cigana Espanhola às 17h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

29/01/2007


O Casameno Cigano

Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/
 
tacca36

A observação e registro do casamento cigano nos conduziu a algumas reflexões sobre o lugar e o papel desempenhado pela mulher cigana no interior de sua cultura, de fundamentos notoriamente patriarcais. Em um aparente paradoxo, tudo se passa como se a cerimônia de casamento constituísse não uma festa dos noivos, mas mais precisamente da noiva cigana. Esta parece ser o centro em torno do qual todos os gestos e rituais se dirigem, enquanto ao noivo, observa-se, parece estar reservado um papel secundário, como simples coadjuvante.

A partir dessas observações, e de outras realizadas em outros momentos da pesquisa, o que testemunhamos parece ultrapassar a simples celebração de um casamento, mas aponta para a celebração do que representa a mulher na cultura cigana. A noiva, mais do que ela mesma – jovem que se casa – representaria a mulher cigana, encarnando portanto, simbolicamente, todas as mulheres, e seu papel de guardiãs da tradição, cultura e identidade do grupo. Isto pode ser melhor compreendido se colocarmos em oposição algumas das atribuições referentes aos papéis que homens e mulheres desempenham no interior da cultura cigana.

Tomemos como exemplo, no ritual de casamento, o momento da compra da noiva, quando um aspecto importante da cultura cigana é reafirmado. Mesmo eventualmente sendo apenas simbólica, a cerimônia significa que o poder de formar as famílias – o casamento arranjado – é uma atribuição dos pais e, mais precisamente, dos homens. Cabe aos jovens submeterem-se a eles. O casamento acontece sob o signo da autoridade dos pais, da tradição, e apresenta o poder masculino da decisão, em contraponto ao poder feminino que será celebrado a partir de então. A notar que a compra da noiva é um negócio, atribuição normal e cotidiana dos homens.

Sabemos que, entre os ciganos, na maioria das vezes, é o homem o responsável principal pelo sustento da família – em atividades de comércio, artesanato ou indústria. Isso significa que a ele cabe o contato, ao nível da atividade econômica, com a sociedade dominante, pois os grupos ciganos não são auto-sustentáveis. Ao exercerem o seu trabalho, não lhes é conveniente apresentar-se como ciganos, devido aos preconceitos que freqüentemente envolvem sua imagem – sabemos de vários ciganos que ocultam sua condição étnica: enquanto participam da sociedade cigana, não admitem aparecer publicamente para os não-ciganos como tal. Seria uma atitude de defesa, para não se sujeitar aos temores e desconfianças dos não-ciganos.

O homem cigano teria, portanto, o papel de, com relação à sociedade dominante, apresentar-se ao nível de relações concretas, materiais, assegurando a subsistência da família. Com relação à própria comunidade, ocupa o lugar tradicional de uma sociedade patriarcal – representa a autoridade, a decisão: é, de muitas forma, o senhor dos destinos, ao qual a mulher deve se submeter.

À mulher, por sua vez, cabe o papel de se relacionar simbolicamente com as sociedades dominantes, carregando no próprio corpo a imagem que afirma e garante a sobrevivência do grupo, não mais no nível estritamente material: ela é sempre a cigana, identificada como tal, que aparece como a senhora da magia e dos mistérios, marcas da cultura a que pertence. Em seu próprio corpo carrega os principais valores e expectativas do grupo: virgindade/fertilidade, fidelidade às tradições. Seu papel, que será exaltado na festa de casamento, tem duas dimensões: assume a responsabilidade tanto pela reprodução física do grupo como por sua reprodução simbólica.

Observamos então que a festa de casamento em si apresenta-se como a celebração da mulher, dessa vez expressa no corpo não de todas as mulheres, mas daquela que as simboliza – a noiva. Do branco usado na igreja ao vermelho do segundo dia do casamento, a transformação que ocorre significa a trajetória que deve ser aquela de todas as mulheres ciganas. A tradição do branco ao vermelho significa o fim da virgindade e o início das responsabilidades de mulher, através da modificação operada no seu próprio corpo: hímen rompido ao qual corresponderão as camisas rasgadas no segundo dia; e através das marcas que carregará na mente: os rituais em torno desse acontecimento – a espera e a exibição do sangue.
 

A cor vermelha, a mesma que significa o sangue do fim da virgindade, é a cor, segundo as próprias ciganas, “essencialmente cigana”. Significa "alegria, virgindade, fertilidade, sorte – tudo de bom”. É a cor presente em todo o segundo dia do casamento –vestes da noiva, flores, bandeira, decoração – quando a menina se tornou oficialmente portadora da identidade cigana. Isto já a espera há muito tempo. A broska, com a qual as famílias celebram o noivado e o casamento de seus filhos, já vem envolta num pano vermelho, que a noiva usará ao assumir sua condição de cigana (e que será o seu primeiro lenço de casada).

Obs.:Há um preceito particular que deve ser observado para consolidar o matrimônio, o "pano da virgindade", que deve ser mostrado à comunidade depois da primeira relação sexual.

José Carlos Rodrigues nos chama a atenção para a necessidade de se estudar a maneira pela qual cada sociedade força os seus indivíduos a fazerem determinados usos de seus corpos. A forma ostensiva como os ciganos, e em especial as ciganas, parecem se esforçar em significar com seus corpos torna oportuna as suas reflexões sobre o lugar que o corpo ocupa nas sociedades:

"....é a sociedade em sua globalidade, e cada fragmento social em particular que decidem o ideal intelectual, afetivo, moral ou físico que a educação deve implementar nos indivíduos a socializar, e, tanto quanto no espírito, uma sociedade não pode sobreviver sem fixar no físico de suas crianças algumas similitudes essenciais que as identifiquem e possibilitem a comunicação entre elas.... Ao realizar este trabalho, a Cultura dita normas em relação ao corpo; normas a que o indivíduo tenderá, à custa de castigos e recompensas, a se conformar, até o ponto de estes padrões de comportamento se lhe apresentarem como tão naturais quanto o desenvolvimento dos seres vivos, a sucessão das estações ou o movimento do nascer e do pôr-do-sol".

Fonte: http://www.studium.iar.unicamp.br/nove/4.html?studium=3.html

Escrito por Cigana Espanhola às 01h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

 

As leis rituais, "marimé"

O conceito cigano de "marimê" equivale à forma negativa do conceito judeu de "kosher"; o primeiro indica impureza ritual, o segundo se refere à pureza ritual. A parte esta diferença de ponto de vista, a essência é a mesma (é como dizer se o copo está metade cheio ou metade vazio). O que para os rom é marimê, não é kosher para um judeu, portanto ambos tomaram as medidas necessárias para não serem contaminados, ou se se referem à uma contaminação inevitável ou indispensável, ambos seguirão certas regras para purificar-se. Da mesma maneira que é a kashrut no judaísmo, as leis que regulam o marimê são um valor fundamental na sociedade romaní e determinam os limites do ambiente social e espiritual, e condicionam suas relações com o mundo exterior (a sociedade dos gadjôs). Os Rom classificam todas as coisas em duas categorias: "vuzhô" (=kosher, puro) ou "marimê" (impuro). Esta classificação concerne primeiramente ao corpo humano, porém se extende ao mundo espiritual, à casa ou acampamento, animais e coisas.
·O corpo humano: as regras que regem as partes do corpo que devem ser consideradas impuras são exatamente as mesmas que encontramos na Torá (Lei de Moisés), em Levítico cap. 15. Em primeiro lugar, os órgãos genitais, porque transmitem fluxos do interior do corpo, e a parte inferior do corpo, porque está abaixo dos genitais. A parte superior externa do corpo é pura, a boca em primeiro lugar. As mãos tem um caráter transitivo porque devem exercitar atos puros e impuros alternativamente, pelo qual devem ser lavadas de um modo particular, por exemplo se alguém deve comer depois de ter posto os sapatos ou levantado da cama (que é impura porque está em contato com o corpo inferior). Quando as mãos foram contaminadas, devem lavar-se com um sabão separado e secar-se com uma toalha separada para tal fim. Distintos sabões e toalhas se devem usar sempre para as partes superior e inferior do corpo, e não podem ser intercambiados.
·Roupas: devem-se distinguir para serem lavadas separadamente, em diferentes recipientes destinados para cada categoria. As vestes impuras se devem lavar sempre no recipiente marimê, e os vestidos puros por sua vez se separam das toalhas e guardanapos, pois vão à mesa e tem seu próprio recipiente. As vestes do corpo superior e das crianças se lavam no recipiente vuzhô, os do corpo inferior no recipiente marimê. Todos as vestes da mulher são impuras no período das menstruações e se lavam com os artigos marimê. O único povo que aplica estas regras para lavar fora os ciganos são os judeus.
·O acampamento: antes da recente urbanização forçada, o lar romaní era o campo, muito mais que a casa. O campo goza da categoria de pureza territorial, pelo qual as necessidades fisiológicas se devem fazer fora do mesmo e das proximidades (ou eventualmente, os serviços higiênicos se constroem fora do campo); este é um preceito judaico (Deuteronômio 23:12). O lixo também deve ser posto a uma distância aceitável do campo.
·Nascimento: o nascimento de uma criança é um evento impuro e deve ocorrer, quando possível, em uma tenda isolada próxima, fora do campo. Depois do nascimento, a mãe é considerada impura por quarenta dias e sobretudo na primeira semana: esta regra é exclusivamente mosaica, estabelecida na Torá - Levítico 12:2-4 -. Durante esse período, a mulher não pode ter contato com coisas puras ou realizar atividades como cozinhar ou apresentar-se em público, especialmente na presença dos anciães, e não pode assistir a serviços religiosos. São destinados pratos, xícaras e utensílios exclusivamente para ela, os quais se descartam passado o período de purificação, assim mesmo os vestidos e a cama que usou se queimam, e também a tenda onde ela habitou durante esses 40 dias. Esta lei é completamente desconhecida para todos os povos, exceto ciganos e judeus.
·Morte: como prescreve a Lei judaica, a morte de uma pessoa comporta impureza ritual para todos os familiares e todas as coisas que tenham sido involucradas nesse momento. Toda a comida que havia na casa do falecido deve ser jogada, e a família é impura por três dias. Devem-se observar regras particulares durante esses três dias, como lavar-se só com água para não fazer espuma, não pentear-se nem enfeitar-se, nem varrer, nem fazer furos, nem escrever ou pintar, nem tirar fotografias, e muitas outras coisas. Os espelhos devem ser cobertos. O acampamento onde ocorreu a morte é abandonado e transladado a outro lugar, ou se vende a casa aos gadjôs. A alma do defunto se crê que vaga por três dias para purificar-se antes de chegar a sua habitação final: isto não está escrito nas Escrituras Hebréias, porém é uma idéia comum entre algumas correntes místicas do judaísmo. O conceito que estabelece que o contato com o corpo morto implica impureza não se encontra em nenhuma tradição se não só na Bíblia (Levítico 21:1). Assim como está prescrito na Lei Judaica, também entre os rom é obrigatório que o corpo seja sepultado e não pode ser queimado.
·Coisas: podem ser marimê por natureza ou por uso, ou ser contaminadas por circunstâncias acidentais. Qualquer coisa que entre em contato com a parte inferior do corpo é impura, como sapatos, meias, etc., enquanto que as mesas são puras. As regras que concernem estas leis são descritas em Levítico 15 e outras Escrituras Hebraicas.
·Animais: os ciganos consideram que os animais podem ser puros ou impuros, ainda que os parâmetros em base aos quais são classificados diferem dos hebraicos. Por exemplo, cachorros e gatos são marimê porque lambem a si mesmos, cavalos, asnos e todo animal de monta é impuro porque a pessoa se senta sobre eles, etc. Os animais impuros não se devem comer.
·Espíritos: os espíritos maléficos são marimê, o que é um conceito judaico.

Escrito por Cigana Espanhola às 01h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Os Ciganos Espirituais na Umbanda

 
Ciganos na Umbanda
"Eu vi um formoso Cigano
Sentado na beira do Rio
Com seus cabelos negros
E os olhos cor de anil
Quando eu me aproximava o cigano me chamou

Com seus dados nas mãos
O cigano me falou
Seus caminhos estão abertos
Na saúde, na paz e amor,
Foi se despedindo e me abençoou
Eu não sou daqui, mas vou levar saudades,
Eu sou o Cigano Pablo, lá das Três Trindades."

Esta linha de trabalhos espirituais já é muito antiga dentro da Umbanda, e "carregam as falanges ciganas juntamente com as falanges orientais uma importância muito elevada, sendo cultuadas por todo um seguimento espírita e que se explica por suas próprias razões, elegendo a prioridade de trabalho dentro da ordem natural das coisas em suas próprias tendências e especialidades.

Assim, numerosas correntes ciganas estão a serviço do mundo imaterial e carregam como seus sustentadores e dirigentes aqueles espíritos mais evoluídos e antigos dentro da ordem de aprendizado, confundindo-se muitas vezes pela repetição dos nomes comuns apresentados para melhor reconhecimento, preservando os costumes como forma de trabalho e respeito, facilitando a possibilidade de ampliar suas correntes com seus companheiros desencarnados e que buscam no universo astral seu paradeiro, como ocorre com todas as outras correntes do espaço.
 
O povo cigano designado ao encarne na Terra, através dos tempos e de todo o trabalho desenvolvido até então, conseguiu conquistar um lugar de razoável importância dentro deste contexto espiritual, tendo muitos deles alçado a graça de seguirem para outros espaços de maior evolução espiritual, juntamente com outros grupos de espíritos, também de longa data de reencarnações repetidas na Terra e de grande contribuição, caridade e aprendizado no plano imaterial.

A argumentação de que espíritos ciganos não deveriam falar por não ciganos ou por médiuns não ciganos e que se assim o fizessem deveriam faze-lo no idioma próprio de seu povo, é totalmente descabida e está em desarranjo total com os ensinamentos da espiritualidade sua doutrina evangélica, até as impossíveis limitações que se pretende implantar com essa afirmação na evolução do espírito humano e na lei de causa e efeito, pretendendo alterar a obra divina do Criador e da justiça divina como se possível fosse, pretendendo questionar os desígnios da criação e carregar para o universo espiritual nossas diminutas limitações e desinformação, fato que nos levaria a inviabilização doutrinária. Bem como a eleger nossa estada na Terra como mera passagem e de grande prepotência discriminatória, destituindo lamentavelmente de legitimidade as obras divinas.

Escrito por Cigana Espanhola às 01h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Os Ciganos Espirituais na Umbanda - Continuação I

  Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/


Outrossim, mantêm-se as falanges ciganas, tanto quanto todas as outras, organizadas dentro dos quadros ocidentais e dos mistérios que não nos é possível relatar. Obras existem, que dão conta de suas atuações dentro de seu plano de trabalho, chegando mesmo a divulgar passagens de suas encarnações terrenas. Agem no plano da saúde, do amor e do conhecimento, suportam princípios magísticos e tem um tratamento todo especial e diferenciado de outras correntes e falanges.
 
Ao contrário do que se pensa os espíritos ciganos reinam em suas correntes preferencialmente dentro do plano da luz e positivo, não trabalhando a serviço do mau e trazendo uma contribuição inesgotável aos homens e aos seus pares, claro que dentro do critério de merecimento, tanto quanto qualquer outro espírito teremos aqueles que não agem dentro desse contexto e se encontram espalhados pela escuridão e a seus serviços, por não serem diferentes de nenhum outro espírito humano.

Trabalham preferencialmente na vibração da direita e aqueles que trabalham na vibração da esquerda, não são os mesmo espíritos de ex ciganos, que mantêm-se na direita, como não poderia deixar de ser, e, ostentam a condição de Guardiões e Guardiãs. O que existe são os Exus Ciganos e as Moças Ciganas, que são verdadeiros Guardiões à serviço da luz nas trevas, como todo Guardião e Guardiã dentro de seus reinos de atuação, cada um com seu próprio nome de identificação dentro do nome de força coletivo, trabalhando na atuação do plano negativo à serviço da justiça divina, com suas falanges e trabalhadores, levando seus nomes de mistérios coletivos e individuais de identificação, assunto este que levaria uma obra inteira para se abordar e não se esgotaria.

Contudo, encontramos no plano positivo falanges diversas chefiadas por ciganos diversos em planos de atuação diversos, porém, o tratamento religioso não se difere muito e se mantêm dentro de algumas características gerais. Imenso é o número de espíritos ciganos que alcançaram lugar de destaque no plano espiritual e são responsáveis pela regência e atuação em mistérios do plano de luz e seus serviços, carregando a mística de seu povo como característica e identificação.
 
Dentro os mais conhecidos, podemos citar os ciganos Pablo, Wlademir, Ramirez, Juan, Pedrovick, Artemio, Hiago, Igor, Vitor e tantos outros, da mesma forma as ciganas, como Esmeralda, Carme, Salomé, Carmensita, Rosita, Madalena, Yasmin, Maria Dolores, Zaira, Sunakana, Sulamita, Wlavira, Iiarin, Sarita e muitas outras também. É imprescindível que se afirme que na ordem elencada dos nomes não existe hierarquia, apenas lembrança e critério de notoriedade, sem contudo, contrariar a notoriedade de todos os outros ciganos e ciganas, que são muitos e com o mesmo valor e importância.

Por sua própria razão diferenciada, também diferenciado como dissemos é a forma de cultuá-los, sem pretender em tempo algum estabelecer regras ou esgotar o assunto, o que jamais foi nossa pretensão, mesmo porque não possuímos conhecimento de para tanto. A razão é que a respeito sofremos de uma carência muito grande de informação sobre o assunto e a intenção é dividir o que conseguimos aprender a respeito deste seguimento e tratamento. Somos sabedores que muitas outras forças também existem e o que passamos neste trabalho são maneiras simples a respeito, sem entrar em fundamentos mais aprofundados, o que é bom deixar induvidosamente claro.

É importante que se esclareça, que a vinculação vibratória é de axé dos espíritos ciganos, tem relação estreita com as cores estilizadas no culto e também com os incensos, pratica muito utilizada entre ciganos. Os ciganos usam muitas cores em seus trabalhos, mas cada cigano tem sua cor de vibração no plano espiritual e uma outra cor de identificação é utilizada para velas em seu louvor. Uma das cores, a de vinculação raramente se torna conhecida, mas a de trabalho deve sempre ser conhecida para prática votiva das velas, roupas, etc.
 
Os incensos são sempre utilizados em seus trabalhos e de acordo com o que se pretende fazer ou alcançar.

Para o cigano de trabalho se possível deve-se manter um altar separado do altar geral, o que não quer dizer que não se possa cultua-lo no altar normal. Devendo esse altar manter sua imagem, o incenso apropriado, uma taça com água e outra com vinho, mantendo a pedra da cor de preferencia do cigano em um suporte de alumínio, fazendo oferendas periódicas para ciganos, mantendo-o iluminado sempre com vela branca e outra da cor referenciada. Da mesma forma quando se tratar de ciganas, apenas alterando a bebida para licor doce. E sempre que possível derramar algumas gotas de azeite doce na pedra, deixando por três dias e depois limpá-la.

Os espíritos ciganos gostam muito de festas e todas elas devem acontecer com bastante fruta, todas que não levem espinhos de qualquer espécie, podendo se encher jarras de vinho tinto com um pouco de mel. Podendo ainda fatiar pães do tipo broa, passando em um de seus lados molho de tomate com algumas pitadas de sal e leva-los ao forno, por alguns minutos, muitas flores silvestres, rosas, velas de todas as cores e se possível incenso de lótus.

Escrito por Cigana Espanhola às 01h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Os Ciganos Espirituais na Umbanda - Continuação II

 

As saias das ciganas são sempre muito coloridas e o baralho, o espelho, o punhal, os dados, os cristais, a dança e a música, moedas, medalhas, são sempre instrumentos magísticos de trabalho dos ciganos em geral. Os ciganos trabalham com seus encantamentos e magias e os fazem por força de seus próprios mistérios, olhando por dentro das pessoas e dos seus olhos.
 
Uma das lendas ciganas, diz que existia um povo que vivia nas profundezas da terra, com a obrigação de estar na escuridão, sem conhecer a liberdade e a beleza. Um dia alguém resolveu sair e ousou subir às alturas e descobriu o mundo da luz e suas belezas. Feliz, festejou, mas ao mesmo tempo ficou atormentado e preocupado em dar conta de sua lealdade para com seu povo, retornou à escuridão e contou o que aconteceu. Foi então reprovado e orientado que lá era o lugar do seu povo e dele também. Contudo, aquele fato gerou um inconformismo em todos eles e acreditando merecerem a luz e viver bem, foram aos pés de Deus e pediram a subida ao mundo dos livres, da beleza e da natureza. Deus então, preocupado em atende-los, concedeu e concordou com o pedido, determinando então, que poderiam subir à luz e viver com toda liberdade, mas não possuiriam terra e nem poder e em troca concedia-lhes o Dom da adivinhação, para que pudessem ver o futuro das pessoas e aconselha-las para o bem.

É muito comum usar-se em trabalhos ciganos moedas antigas, fitas de todas as cores, folha de sândalo, punhal, raiz de violeta, cristal, lenços coloridos, folha de tabaco, tacho de cobre, de alumínio, cestas de vime, pedras coloridas, areia de rio, vinho, perfumes e escolher datas certas em dias especiais sob a regência das diversas fases da Lua..."

Trecho extraído do livro "Rituais e Mistérios do Povo Cigano",
Autor: Nelson Pires Filho
Ed. Madras
Permitida reprodução desde que estejam presentes os créditos completos devidos.

Escrito por Cigana Espanhola às 01h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Incensos

Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

 

Usados de maneira correta, criam uma atmosfera no ambiente, de energia, equilíbrio e harmonia, que ajuda o ser humano a sintonizar mais facilmente com os planos superiores.

Como ainda hoje acontece, em épocas passadas o incenso era usado para quatro finalidades:

1) Para Agradar aos Deuses:
Acreditava-se que o cheiro agradável e aromático que o próprio homem sentia agradaria aos deuses ou à divindade. Vamos chamá-lo de função de oferenda do incenso.

2) Meio de Oração:
O incenso era visto como um meio para a oração. Acreditava-se que a fumaça ascendente levaria aos deuses as petições daqueles que queimavam o incenso. Por causa de seu cheiro agradável acreditava-se que deveria ser um meio ao qual os deuses não podiam se fechar.

3) Meio de Neutralização:
O incenso era queimado para mascarar ou neutralizar o mau cheiro oriundo de imolações (animais e outros materiais). Pela mesma razão também era usado nos funerais.

4) Meio de Influência Inter-Humana:
O aroma e as vibrações do incenso sintonizam aquele que o queima com uma determinada finalidade ou dão um determinado estado de ânimo às diversas pessoas que se encontram no ambiente onde o incenso é queimado. O aroma e as vibrações despertam em todas as pessoas determinadas sensações e lembrança e sintonizam a psique e a mente com certos objetivos.



O INCENSO NAS FALANGES CIGANAS

Alguns dos incensos e suas funções astrais:

 

  • MADEIRA: para abrir os caminhos

     
  • ALMÍSCAR: para favorecer os romances

     
  • JASMIM: para o amor

     
  • LOTUS: paz, tranqüilidade

     
  • BENJOIM: para proteção e limpeza

     
  • SÂNDALO: para estabelecer relação com o astral

     
  • MIRRA: incenso sagrado usado para limpar após os rituais e durante eles e também usado quando vai se desfazer alguma demanda ou feitiço.

     
  • LARANJA: para acalmar alguém ou ambiente.

    Todo incenso deve ser usado com cautela nunca em demasia como fazem algumas pessoas e deve ser sempre dirigido a alguma causa. Não deve ser utilizado simplesmente por usar, por nada ou sem motivo, deve sempre ter um dono que o receba e que tenha seu nome pronunciado no momento do pedido. O incenso é um expediente sagrado e tem sido usado em rituais sagrados de toda espécie desde que o homem é homem.

    Mantém um poder grande de evocação espiritual e astral e não deve ser usado tão somente para perfumar ambientes ou sem causa porque sempre estaria alcançando uma egrégora qualquer com a vibração que provoca e que está quieta em seu lugar, tem o condão de atrair energia de toda espécie e dos dois planos astrais, negativo e positivo, tem força de ritual e de alimento também, tem força de rejeição ou de atração dependendo do patamar alcançado e da situação especial de quem as ascende.

    É por demais conhecido no mundo da mística astral e por vezes seu uso ou o que emana no mundo imaterial chega a ser disputado quando não pertence a ninguém que o esteja recebendo, podendo muitas vezes provocar visitas ansiosas por novos incensos a serem utilizados.

    Pode parecer simples e de nenhuma gravidade, bem como aconselhado em outras egregoras como de bom agouro e condutor de sorte, limpeza e bom astral, em algumas vezes até como calmante ou nivelação energética de ambientes, contudo, seu uso como tudo no mundo deve ser feito com o critério necessário e mantida a relação correta com o que e quem se pretende atingir, na sua ardência e utilização, sem contar com as preferências milenares já existentes em alguns casos, no mundo imaterial por uma avalanche de viventes e energias de tipos diversos.

    O uso inadvertido ou pouco conhecido de determinados instrumentos destinados, regra geral a rituais, consagrações e outros tantos motivos, não é aconselhável. Fato que nos leva à necessidade de orientação, pesquisa e instrução à respeito. As coisas que por vezes nos parecem muito simples e que por qualquer motivo nos faz um aparente bem, mas que não esteja dentro de nosso domínio de conhecimento, requer maior atenção e aprendizado.

    Quando se tratar de espírito cigano, com certeza ele indicará o incenso de sua preferência ou de sua necessidade naquele momento, regra geral o incenso mantêm sempre correspondência com a área de atuação dele ou dela ou do trabalho que estará sendo levado a efeito. Quando se tratar de oferendas e já não estiver estipulado o incenso certo para acompanhar e houver sua necessidade solicitada, bem como nas consagrações o incenso que deve acompanhar devera sempre ser o de maior correspondência com o próprio cigano ou cigana. No caso de uma oferenda normal e tão somente necessária para manutenção, agrado ou tratamento sugere-se o incenso espiritual ou de rosa, que mantém efeito de evocação de leveza, de elevação ou mesmo de louvação espiritual.

    Quando se pretender que alguma coisa , objeto ou ambiente seja bem energizado, ou mesmo se tratar de alguma consagração de algum instrumento utilizado por eles, e for feito sem a participação efetiva do cigano ou cigana e com a devida autorização, pode-se usar o incenso de ópio ou mesmo sândalo, se nenhum foi indicado. É interessante que se tenha sempre a mão esses incensos, no caso de algum cigano pedir para exercer qualquer vibração de energização em algum objeto qualquer que deseje dar ou mesmo prepara para alguém.
     

  • Escrito por Cigana Espanhola às 01h26
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Vestuário Cigano

    Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

     

    Esse item da tradição cigana, caracteriza a identidade cigana num dos aspectos de sua etnia. Com uma observação especial para nossos dias atuais, algumas moças ciganas estão trocando o feitiço da feminilidade que suas saias longas e coloridas lhe dão (expressão de sua verdadeira cultura), por calças jeans e tênis sofisticados. Não que usar roupas da moda seja errado, mas fazer a substituição, usando-os até em festas regionais, isso sim faz com que o povo tenda a perder sua identidade tão apreciada pelos próprios ciganos e até pelos outros povos. Os povos em geral sempre foram reconhecidos pelos hábitos e costumes ressaltando suas tradições e vestuários. Em um âmbito social, é de suma importância que o povo cigano mantenha sempre viva sua identidade, sendo intransferível este direito sociocultural. Vemos isto se formalizando nas festas, sejam essa regionais, abertas, slavas ou festas fechadas com publico determinado. Nessas são exibidos e exigidos por alguns, o uso dos trajes ciganos. Eles fazem ver aos seus filhos o valor dos seus métodos. Os ciganos do grupo kalderash por exemplo, ainda mantém essas tradições bem vivas em suas festas e eventos sociais, o que não vem ocorrendo ultimamente com alguns grupos ciganos.

    Cigana use sua saia

    As cores predominantes no vestuário ciganas são;

          -        Vermelho - que representa a vida e corta o mau olhado

    -        Dourado - que representa prosperidade

    -        Estampado - que representa a união da natureza

    Obs.: ao contrario que muita gente pensa, os ciganos do grupo kalon não possuem superstições a respeito da cor preta e muitas vezes costumam apresentar-se com trajes desta cor em espetáculos musicais e de dança.

    -        As ciganas não usam trajes totalmente brancos, pois o branco representa a pureza sendo reservado para a cerimônia de casamento.

    -        Sendo somente no primeiro dia da cerimônia do casamento a noiva usará branco no segundo dia, seu vestido será vermelho.

    Escrito por Cigana Espanhola às 01h26
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

     

    O tarô/Baralho Cigano

    A Cartomancia, é um dos costumes ciganos mais conhecidos, afinal muitas pessoas recorrem a este povo para saber o futuro pelas cartas. De acordo com a tradição, o Baralho Cigano é praticado principalmente por mulheres ciganas (DRABARIMÔS) que fazem a leitura da BAR (sorte), pois trazem em seu interior a energia da lua (o oculto), tendo a luz da vidência , o dom do sentir, pressentir e interpretar. Para a leitura das cartas, as ciganas utilizam um baralho comum, desses usados para jogos de azar, retirando o curinga e as cartas que vão do dois ao cinco, restando 36 cartas que são utilizadas para a leitura.O Povo Cigano associou à essas cartas algumas figuras do seu simbolismo esotérico com seu próprio significado. As correspondências entre as cartas comuns e as figuras acontece de forma natural para os Ciganos, porém para os não-ciganos torna-se um tanto difícil fazer essa associação, felizmente existe no mercado versões do baralho com as figuras impressas o que facilita muito o aprendizado e sua interpretação. Os ciganos não são obrigados a seguir nenhuma doutrina, mas, se forem religiosos, cultuam um único DHIEL (Deus); seu filho KRISTESKRO (Jesus) e a figura inefável de SANTA SARA KALÍ (sua Padroeira) e única santa cigana do mundo, cuja SLAVA (comemoração), acontece nos dias 24 e 25 de Maio, outras datas importantes para os ciganos são o Natal, a Páscoa, a Semana santa e o Dia do Cigano 12 de Outubro. 

     

    Escrito por Cigana Espanhola às 01h23
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

     

    Dança Cigana

    Danças ciganas sempre foram atração especial nas cortes européias, a começar pela francesa. Desde o tempo de Henrique IV apresentavam-se dançarinos ciganos no castelo de Fontainebleau e na residência da marquesa de Sévigné. Moliére, em O Casamento Forçado, introduz no palco um grupo de ciganos e ciganos dançando ao som de pandeiros. Numa das apresentações, o próprio Luís XIV dançou vestido de cigano.

    Na Turquia, a dança era uma das profissões ciganas mais características. O cortejo das tropas de Constantinopla que desfilou para sultão Mourad IV, no século XVII, tinha, após a seção dos músicos, uma seção de dançarinos, entre os quais numerosos ciganos.

    Em Portugal, a Farsa das Ciganas, de Gil Vicente, apresentada em 1521, mostrava quatro mulheres ciganas que cantavam e dançavam.

    Foi na Espanha, entretanto e, sobretudo nas terras do sul, no antigo reinado de Granada, que a dança cigana floresceu em seu terreno mais fértil. De seu encontro com a arte árabe nasceria o inigualável flamenco. O Flamenco é um estilo musical e um tipo de dança fortemente influenciado pela cultura cigana, mas que tem raízes mais profundas na cultura musical mourisca. A cultura do flamenco é originária da Andaluzia em Espanha. 

     

    Escrito por Cigana Espanhola às 01h22
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

     

    Música Cigana

    Foi na Europa central e oriental que a música cigana (vocal e instrumental) teve – e continua a ter – seu público mais fiel e apaixonado. Os elementos musicais turco-árabes, recolhidos pelos músicos ciganos nas cores dos paxás e dos beis, floresceram na Hungria com a incorporação dos instrumentos, da técnica, da orquestração e da harmonização europeus.

    Desde o século XVII, os senhores magiares mantinham orquestras ciganas.

    Dois nomes ficaram na história: o do cimbalista Simon Banyak, protegido da imperatriz Maria Teresa, e Janos Bihari, autor de "Kronunhs", música para o coração da imperatriz Maria Luisa da Hungria, em 1808.

    Assim como na Hungria e na Transilvânia, os ciganos eram numerosos na Moldávia, na Valáquia e nos países que viviam a formar a Iugoslávia. Grupos de cantores ciganos foram introduzidos na Rússia pelo conde Aléxis da Moldávia, sob o reinado de Catarina, a Grande, e fizeram enorme sucesso nos anos que se seguiram à guerra de 1812 contra Napoleão.

    A música cigana espanhola, conhecida desde os tempos de Cervantes, ganhou popularidade universal com o canto jondo.

    Vários compositores europeus foram intensamente influenciados pelos ciganos. Além de Liszt, o mais conhecido, também Haydn, Schubert, Beethoven e Brahms.

     

    Escrito por Cigana Espanhola às 01h21
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Visite meu Site: http://baralhoespanhol.sites.uol.com.br/

     

    A Bandeira Cigana

    Esta bandeira foi instituída como símbolo internacional de todos os Ciganos do mundo no ano de 1971, pela Internacional Gypsy Committee Organized no " First World Romani Congress " - Primeiro Congresso Mundial Cigano - realizado em Londres.

    A roda vermelha no centro da bandeira simboliza a vida, representa o caminho a percorrer  e o já percorrido. A tradição, como continuísmo eterno, se sobrepõe ao azul e ao verde, com seus aros representando a força do fogo, da transformação e do movimento.

    O azul representa os valores espirituais, a paz, a ligação do consciente com os mundos superiores, significando libertação e liberdade.

    O verde representa a Mãe Natureza, a terra, o mundo orgânico ( subterrâneo), a força da luz do crescimento vinculado com as matas, com os caminhos desbravados e abertos pelos Ciganos. Representa o sentimento de gratidão e respeito pela terra, de preservação da natureza pelo que ela nos oferece, proporcionando a sobrevivência do homem e a obrigação de ser respeitada pelo homem, que dela retira seus suprimentos, devendo mantê-la e defendê-la.

     

    Escrito por Cigana Espanhola às 01h21
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Histórico